(41) 3030-9090   (41) 3525-2355 (41) 3071-3535 (41) 3888-6777 atendimento@jbaimoveis.com.br

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Decoração de Festa Junina 2017



Aprenda a fazer uma grande comemoração temática, caprichando nos enfeites da mesa principal, nas bandeirolas, nas estampas nos elementos rústicos e muitos outros elementos decorativos. Lembre-se de que cada detalhe pode fazer toda a diferença na sua decoração.

Durante o mês de junho, as pessoas vestem os seus trajes caipiras e se entregam às atrações das festas de são joão. Elas se envolvem com as brincadeiras, dançam quadrilha e experimentam os principais pratos típicos. Para quem organiza o evento, uma das principais preocupações consiste em acertar na decoração da festa junina.



A decoração de São João precisa ser alegre e descontraída. Ela deve incorporar os principais símbolos juninos e alguns elementos rurais. É fundamental colocar a criatividade para trabalhar e ir muito além das tradicionais bandeirinhas coloridas.

Para que a festa junina se torne incrível, é importante se preocupar com os detalhes da decoração. Flores, santinhos, plaquinhas e doces confeitados fazem toda a diferença na composição. 

1. Bandeirolas de tecidos

As bandeirinhas são elementos essenciais para a decoração pendente da festa junina. Elas normalmente são confeccionadas com papel de seda colorido, mas ficam bem mais bonitas e criativas quando são feitas com retalhos de tecidos estampados.



2. Plaquinhas de santos

A festa junina faz homenagem a três santos católicos: Santo Antônio, São Pedro e São João. As imagens deles podem ser impressas em plaquinhas e decorar os doces, como é o caso dos pedaços de bolo de fubá.



3. Objetos comuns no campo

Os itens que são usados no dia-a-dia dos sítios e fazendas podem aparecer na decoração da festa junina, pois eles fazem referência ao estilo de vida caipira. Panelas antigas, bules, guardanapos coloridos, porta-talheres de madeira e colher de pau são algumas ideias de objetos. Itens que estão relacionados às crenças populares também são interessantes, como é o caso da imagem de Santo Antônio.



4. Novas possibilidades com papel de seda

Além de servir para as bandeirinhas, o papel de seda também pode ser usado para fazer lanterna plateaux, margarida, leque e guirlanda-margarida. Estas peças deixam a decoração pendente mais original.



5. Balões de papel colorido

O balão é um dos principais símbolos da festa junina. Ele pode servir de inspiração para fazer um enfeite pendente, confeccionado com papel colorido.



6. Delícias juninas expostas na mesa

A festa junina tem diversas comidas típicas que dão água na boca, tais como milho cozido, paçoca, pé de moleque, maçã do amor, bolo de fubá, cuscuz e quindim. Estas iguarias podem ficar expostas e contribuir com a decoração da mesa principal.



7. Chapéu de palha virou bandeja

O chapéu de palha é um acessório tradicional do look caipira, mas também pode ser usado como bandeja na decoração.



8. Estampa xadrez

O xadrez é uma estampa muito usada na decoração da festa junina. Ele aparece nas toalhas de mesa, nos retalhos de tecidos e nas embalagens dos doces.



9. Girassol e flores do campo

Tanto as flores do campo como os girassóis trazem à tona a atmosfera rural. Elas ajudam a deixar a decoração da festa junina mais alegre, delicada e acolhedora.



10. Caipirinhas de EVA

Os caipirinhas confeccionados com EVA tendem a deixar a festa junina mais divertida, principalmente quando ela é realizada na educação infantil. Os enfeites são perfeitos para ilustrar as paredes.



11. Elementos rústicos

Alguns elementos rústicos não podem faltar na decoração da festa junina, tais como cesto de vime, carroça e feno.



12. Ingredientes típicos

Sacos de juta com farinha de trigo, cestos de frutas e espigas de milho são ingredientes que contribuem com uma decoração temática. Eles também podem servir de inspiração para confeccionar lembrancinhas de festa junina.



13. Doces decorados de forma temática

Se a festa junina tem um ar mais sofisticado, então ela pode contar com doces decorados, como é o caso dos cake pops que assumem a forma de cabeças de meninas caipiras.



14. Bolo de pipoca

O bolo de pipoca, decorado com fitas de cetim, é uma ótima opção para decorar a mesa principal da festa junina.



15. Placas convidativas

As plaquinhas artesanais podem deixar a festa junina com um visual ainda mais temático. Elas são perfeitas para nomear as barracas de comidas típicas e indicar os sanitários.



Fonte: Casa e Festa
Comentar

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Estilo Empreendimentos participa do 13º Feirão Caixa da Casa Própria




A construtora Estilo - parceira da JBA Imóveis - está presente no 13º Feirão Caixa da Casa Própria. O evento acontece nos dias 23, 24 e 25 de junho no Expo Unimed Curitiba. A Estilo tem um estande montado com 14 corretores de prontidão revezando-se durante os três dias para atender ao público.

Com 14 empreendimentos à mostra, a construtora oferta mais de 460 unidades prontas e na planta que partem de R$ 111.000,00 a R$ 965,010,00 em Curitiba e região metropolitana entre casas, sobrados e terrenos em condomínio.

Para este ano, o Residencial Bela Vista, localizado em Fazenda Rio Grande, está com a promoção de documentação paga integralmente pela construtora, além de já participar do programa Minha Casa, Minha Vida. O visitante que passar pelo estande da Estilo pode tirar dúvidas, fazer simulação de financiamento e agendar visita aos empreendimentos.

Serviço:

O 13º Feirão Caixa da Casa Própria acontece no Expo Unimed Curitiba (Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido).
Dia 23 de junho (sexta-feira): das 10h às 20h.
Dia 24 de junho (sábado): das 10h às 20h.
Dia 25 de junho (domingo): das 10h às 18h.










Texto por Robson Leandro
Comentar

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Caixa tira dúvidas do Minha Casa, Minha Vida



Como faço para comprar um imóvel pelo programa?

Para se inscrever no MCMV, é preciso apresentar em uma das agências da Caixa o RG, CPF e documentos que comprovem sua renda, como a carteira de trabalho, últimos contracheques, comprovante de despesas ou declaração de Imposto de Renda (IR). Para escolher o empreendimento, vá até um dos estandes das construtoras que atendem ao programa.
A renda bruta familiar vai definir em qual faixa do programa você se encaixa. Faça uma simulação de financiamento no site e saiba mais detalhes sobre prazos e condições.

Como posso usar minha conta do FGTS?

O dinheiro do FGTS, tanto das constas inativas ou ativas, pode ser usado como entrada no financiamento e para amortizar o saldo devedor da casa própria, caso haja inadimplência. Com o FGTS, você ainda pode reduzir o prazo da dívida ou quitar o financiamento.



Posso participar do programa se eu já tiver um apartamento no meu nome?

Não. Mas há a possibilidade de se inscrever no “Minha Casa, Minha Vida” proprietários de terreno sem construção.
Sou autônomo e gostaria de participar do MCMV, como faço para comprovar minha renda?

O ideal é juntar extratos de transações bancárias e a declaração do Imposto de Renda (IR). Deposite em uma conta bancária todo o dinheiro que você ganha e aguarde seis meses para usá-la como comprovação de renda. Se não tiver conta corrente, abra uma.
Se estiver com o nome sujo, posso me inscrever no programa?


É permitida a participação de quem está com o nome sujo apenas para a faixa 1 (renda mensal até R$ 1.800). Já quem tem salário maior do que esse valor precisa regularizar a situação.


Fonte: Jornal Extra
Comentar

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Entenda as novas regras do Minha Casa Minha Vida

Regras para enquadramento por faixa de renda se tornaram mais abrangentes. Meta é entregar 610 mil unidades em 2017 



O anúncio do governo federal em tornar mais flexíveis as regras do programa Minha Casa Minha Vida terá como resultado imediato um maior acesso dos brasileiros ao programa habitacional. Com o reajuste das faixas de renda e também do limite de financiamento, um número maior de residências também poderá ser custeado. A meta é chegar a 610 mil unidades em 2017.

Para poder financiar um apartamento pelo programa, o beneficiário precisa cumprir uma série de requisitos. O principal deles é a renda familiar. A partir dela, são definidos os juros do financiamento, o prazo de pagamento e o tipo de imóvel.

As medidas anunciadas pelo governo mudam as regras para quem está nas faixas de renda 1,5, 2 e 3. Para se enquadrar na primeira faixa, a renda total da família precisa ser de até R$ 2,6 mil. Antes, esse limite era menor, de R$ 2,35 mil.

Para os que se enquadram na faixa 2, agora é preciso ter uma renda de até R$ 4 mil. Antes dessas mudanças, o limite era de R$ 3,6 mil. Na faixa 3, esse teto de enquadramento subiu de R$ 6,5 mil para R$ 9 mil. Na ponta do lápis, houve um reajuste de 7,69%.



Mais financiamentos no MCMV

Essas mudanças vão permitir que mais unidades habitacionais se enquadrem no programa. No Distrito Federal, São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, era possível financiar uma casa ou apartamento avaliado em até R$ 225 mil. Agora, o valor aumentou para R$ 240 mil. Esse enquadramento vale para as operações com uso do Fundo de Garantia do Tempo de Serviços (FGTS).

Nas capitais do Nordeste e do Norte, será possível financiar apartamentos de até R$ 180 mil com dinheiro do FGTS. O limite anterior era de R$ 170 mil. O último reajuste para os imóveis financiados com recursos do fundo de garantia havia sido dado em 2015.


Meta 

Com essas alterações, o governo também alterou a meta do programa: de 380 mil contratações em 2016 para 610 mil em 2017. “As ações prometem impulsionar o setor da construção civil, além de impactar a economia, gerar emprego e, sem dúvida, conceder a oportunidade de incluir novas famílias brasileiras ao programa”, afirmou o ministro das Cidades, Bruno Araújo.

O ministro do Trabalho e Emprego, Ronaldo Nogueira, disse que essas mudanças colaboram para reduzir o déficit habitacional e para impulsionar a economia. “O governo do presidente Michel Temer busca alternativa para oferecer dois endereços dignos para o cidadão, um endereço para morar e um para trabalhar. Iniciativas como essas precisam ser louvadas”, ponderou.



Fonte: Portal Planalto e Ministério das Cidades 
Comentar