(41) 3030-9090   (41) 3525-2355 (41) 3071-3535 (41) 3888-6777 atendimento@jbaimoveis.com.br

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

10 lavanderias pequenas e organizadas

Falta de espaço não desculpa para não ter uma área de serviço linda e funcional. Selecionamos projetos que provam que é possível ter um cantinho assim. Veja:


Na área de serviço, o dente na alvenaria abriga a hidráulica. Mas isso não causou problema: as prateleiras foram desenhadas especialmente com esse recorte. Assim, os produtos de limpeza ficam à mão para uso diário. A máquina lava e seca é ladeada por armários, próprios para esconder baldes e bacias.


Na lavanderia, a laje de concreto apoia a lavadora de roupas, abrindo espaço para cesto e lixeira. Ala íntima espaçosa e confortável.


Na área de serviço, cada parede de 1,50 m de largura é bem aproveitada. De um lado, se encaixam perfeitamente o gabinete com cuba e a máquina de lavar – acima, são presas prateleiras com borda colorida que encontram uma dupla de armários aéreos.


No terraço, nada de espaço gourmet: quem ocupa a área é a lavanderia! A bancada de granito e os pontos de água e esgoto foram entregues pela construtora.


Piso e paredes se cobriram com porcelanato e cerâmica neutros, reforçando a impressão de limpeza e claridade no cômodo.


A divisória de vidro incolor separa cozinha e lavanderia sem criar obstáculos visuais.


A área do tanque ficou mais prática ao reunir escovas, esponjas, panos, desinfetantes e afins em um painel aramado preso na parede (atente para fazê-lo no rejuntamento das peças). As prateleiras que se encaixam na placa são vendidas separadamente, permitindo a montagem de acordo com a necessidade. Cestinhos reúnem miudezas, e uma sacola vazada guarda os pregadores - boa ideia para a hora do leva e traz.


A graciosa varandinha também funciona como área de serviço, com tanque e lava e seca. 


No projeto, realizado pelas arquitetas Beatriz Ottaiano e Daniele Okuhara, da Doob Arquitetura, o azulejo nas paredes deu bossa. Esse modelo retrô tem custo-benefício ótimo e, apesar de branco, é um charme. Foi aplicado até 1,70 m do chão. Dessa maneira, economizamos – já que não foi preciso revestir até o teto – e garantimos que os trechos que têm mais contato com umidade fiquem protegidos e sejam fáceis de limpar.



Lavanderia e cozinha compartilham a mesma bancada de granito branco siena superpolido, que mede 4,25 x 0,65 m (Magnani). Mas, atenção: Abrir mão de uma divisória entre os ambientes só funcionou porque os moradores usam pouco a área de serviço – e vivem bem com apenas um varal de chão e uma lava e sec.


Fonte: Minha Casa


Comentar

sábado, 23 de setembro de 2017

Como escolher um consórcio de imóvel ?



Quem está pensando em adquirir uma cota em um consórcio imobiliário deve ficar atento. Na hora de comparar taxas de administração, é possível encontrar grandes diferenças entre bancos e administradoras de consórcios.
Segundo levantamento baseado em dados divulgados pelo Banco Central com as maiores administradoras de consórcios imobiliários do país, a Rodobens é a que cobrava, em média, a taxa de administração mais alta em abril, último dado divulgado. No período, a taxa cobrada pela administradora correspondia a 21,6% do valor da carta de crédito. Já o Bradesco cobrava, em média, a taxa mais baixa: 16,6%.
Ou seja, para uma carta de 300 mil reais, o valor a ser pago para a empresa administradora do grupo pode variar entre 49.800 reais ou 64.800 reais, em média: uma diferença de 15 mil reais.
Contudo, a pesquisa não deve levar em conta apenas o menor custo. Além da taxa administrativa, o porcentual de contemplação e inadimplência dos grupos são dados importantes que devem ser analisados na busca pelo melhor negócio, pois podem evitar dor de cabeça para os cotistas no futuro.


É o que conclui Marcelo Prata, especialista em crédito. “Em um financiamento de imóvel, o mais importante é a taxa de juros. Mas, em um consórcio, quem está emprestando dinheiro não é a administradora ou o banco: são pessoas. Ou seja: se elas estiverem inadimplentes, os usuários podem não ser contemplados com o valor da carta de crédito enquanto a situação não se normalizar”.
Portanto, a taxa de inadimplência é um dos itens que deve ser observado por quem quer comprar um imóvel na modalidade. “Se ela for alta, há um risco maior de que os usuários não sejam contemplados em algum momento”.


Há dois indicadores de inadimplência: o de cotistas já contemplados com o crédito e os que ainda não foram contemplados, ambos divulgados pelo Banco Central. Apesar de ambos aumentarem a insegurança financeira do grupo, o grande problema é o porcentual de inadimplentes que já foram contemplados, explica Prata. “Esse inadimplentes atrapalham o grupo porque eles já pegaram o dinheiro do bem. Quem busca resgatar o valor em caso de inadimplência se depara com um processo longo”.
Outro dado que deve ser observado por quem se interessa pela modalidade de crédito é o porcentual de contemplação de cada administradora ou banco, obtido quando se divide o número de cotas contempladas pelas cotas não contempladas, também divulgados mensalmente pelo BC. Marcelo Prata explica que ambos os índices estão relacionados, já que grupos com baixa inadimplência contribuem para um porcentual maior de contemplação.


Antes de optar por uma administradora, é possível ainda consultar o índice de reclamações da empresa, também divulgado pelo Banco Central.
Veja abaixo a tabela de indicadores referente às maiores administradoras de consórcio de imóveis do país, conforme os últimos dados divulgados pelo BC:

Outras taxas também devem ser analisadas


Além da taxa administrativa, o custo de seguros, que cobrem morte e invalidez do cotista, e a taxa de fundo de reserva, cujos recursos servem para cobrir a inadimplência do grupo, também devem ser comparadas. “Grupos com fundos de reserva têm mais fôlego para contemplar cotistas, mesmo que tenha taxas altas de inadimplência”, explica Prata.
Mas atenção: a ausência de cobrança por fundos de reserva em administradoras como Rodobens e Ademilar, apesar de reduzir o valor a ser pago por cada cotista, pode representar maior insegurança para o grupo, já que não haverá um mecanismo que permita continuar a contemplar cotistas caso a inadimplência aumente.


Compare na tabela abaixo as informações sobre taxas e facilidades enviadas pelas maiores empresas de consórcio imobiliário do país. Apenas a Caixa não participou do levantamento:

Para quem a modalidade é indicada

Resiliente à crise, o consórcio de imóveis continua a crescer. A modalidade de crédito avançou 7,8% de janeiro a maio, de acordo com a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (ABAC).
Mesmo mais acessível do que um financiamento, a decisão por comprar uma cota do consórcio imobiliário deve ser analisada com cautela.
A grande vantagem da modalidade é näo cobrar os altos juros de um financiamento. Apesar da expectativa de ser contemplado com o valor da carta de crédito em pouco tempo, o prazo máximo para receber o valor é de 18 anos.
“Muita coisa pode acontecer neste período. Ainda que o dinheiro seja corrigido pelo Índice Nacional de Construção Civil (INCC), os imóveis têm dinâmicas de preços próprias”, diz Prata. Ou seja, até ser contemplado, o cotista pode não ter, necessariamente, o dinheiro necessário para comprar o imóvel que planejou porque os preços subiram mais do que o previsto, por exemplo.
Outra característica da modalidade de crédito que atrai interessados é o fato de criar uma poupança forçada, indicada para quem não consegue  guardar dinheiro para comprar o bem de outra forma, investindo, por exemplo.


Inadimplência e cancelamento 
Caso não consiga pagar os boletos, ainda não tenha sido contemplado e queira cancelar o consórcio, o cotista provavelmente irá perder as taxas pagas como fundo de reserva e taxa de administração e pode ter de pagar uma multa de cerca de 10% do valor que já pagou ao grupo.
Além disso, pode ter de esperar para receber o restante do dinheiro que já foi pago até o final do plano. As administradoras realizam sorteios mensais nos quais, se contemplado, o cotista recebe o dinheiro que já foi pago. Caso contrário, terá de esperar pela data final do plano para obter o reembolso.
Caso já tenha sido contemplado com a carta de crédito e não consiga continuar a pagar os boletos, o processo se assemelha ao de um financiamento bancário. Neste caso, o imóvel poderá ir à leilão e ser usado como garantia para o pagamento do restante da dívida.

Fonte: Exame
Comentar

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Reforma sem sofrimento

1 – Planeje sua reforma e gastos – Contratar um projeto pode salvar sua obra e seu bolso! No papel, todos os itens devem estar especificados, desde o modelo das luminárias até a quantidade, tipo e paginação dos pisos. Com isso definido em papel, você poderá ter uma tomada de preços mais eficiente e economizar na hora de contratar, pois terá garantido que o orçamento está sendo feito a partir de uma ideia definida.
O tempo de projeto é proporcional ao tamanho da obra e leva, no mínimo, um mês e meio para ser concluído com qualidade. Colocar tudo no papel antes de começar a contratar e gastar com a obra lhe dará a dimensão de tudo e evitará surpresas desagradáveis, como decidir um revestimento ou modelo de torneira enquanto o prestador espera parado na obra ou gastar muito com os prestadores e não ter verba para comprar os móveis, por exemplo.

Orçar a obra dá trabalho, mas traz muitas economias. Alguns escritórios já entregam uma planilha com o projeto orçado de ponta a ponta (desde a mão de obra até os eletrodomésticos). Esta planilha é importante para se ter uma ordem de grandeza do gasto e saber o que é possível fazer na hora de executar. Pode ajudar a filtrar alguns itens, substituir algumas especificações ou negociar valores para atingir uma meta de gastos.


2 – Procure um profissional com antecedência – O planejamento e o projeto exigem um tempo de desenvolvimento e devem entrar no planejamento do prazo da obra. Se você quer ter uma piscina linda no verão, comece a planejá-la em meados de junho. Se pretende ter um gazebo com lareira, pode iniciar o projeto em pleno verão. Além disso, atenção ao contratar, procure sempre pessoas capacitadas. O faz-tudo, em geral, não é a melhor opção, pois não é especializado. Pesquise em lojas conceituadas ou com amigos que já contrataram algum serviço.


3 – Pesquise preços de materiais antes do início da obra – Faça isso especialmente com os materiais de acabamento e leve em consideração que vai gastar, em média, a mesma quantia com mão de obra.


4 – Monte um cronograma – O serviço de administrar uma obra vai muito além de comprar os materiais que os prestadores solicitam. Antes do início, vale reunir todos os envolvidos e questionar prazos e o que poderá ocorrer em caso de eventuais intempéries. A compatibilização dos serviços também é essencial para a realização deste cronograma.
Uma obra simples tem sempre uma logística dos serviços a serem realizados: comece pela demolição, entre com as alterações elétricas, projeto de iluminação, forro de gesso, regularização ou assentamento do piso e marmoraria, instalação das luminárias, masseamento e primeira demão de pintura, marcenaria, finalização dos acabamentos e encerre pelo retoque de pintura e instalação de adesivos e papel de parede.
Fora isso, evite iniciar uma reforma no final do ano. Essa não é a melhor época para iniciar uma reforma. Muitas lojas param de atender já em meados de dezembro. Se a obra é realizada em área externa deve-se, obviamente, evitar os meses de chuva, como na primavera e no verão.


5 – Esteja por dentro de todos os prazos – Se você pretende montar a marcenaria é necessário contar com o fechamento do pedido e conferência das medidas ao menos 60 dias antes da data prevista de montagem. Assim como a marcenaria, cada serviço tem um prazo para o fornecimento dos produtos e todos os fechamentos devem ser compatibilizados com a planilha de execução. Assim você poderá cobrar a entrega a partir do prazo do fornecedor. Nem tudo é fornecido no mercado a pronta entrega e planejar as janelas de fechamento e instalação é essencial para que a obra não fique parada.


6 – Fique atento às adversidades – Mesmo montando o cronograma, é muito difícil estabelecer prazos para o término da obra quando falamos em reforma, porque situações inesperadas podem acontecer. Por exemplo, pode haver a indisponibilidade de algum produto, falta de mão de obra, atrasos nos prazos de entrega de fornecedores ou mesmo algum imprevisto no imóvel, como um problema não aparente.








7 – Transtornos fazem parte da reforma – Se você pretende reformar sem desocupar o imóvel é bom ter plena ciência de que morar numa obra tem muitos inconvenientes, como pessoas o tempo todo circulando pelo imóvel, poeira e o impedimento de circulação em alguns cômodos da casa.


8 – Evite colocar vários fornecedores trabalhando juntos – Isso não é bom. Dificulta o controle da qualidade dos trabalhos e muitas vezes um acaba prejudicando o trabalho do outro. O ideal ao receber um prestador de serviço é especificar detalhadamente o que cada fornecedor vai fazer, elabore uma lista e peça para o contratado assinar. E não esqueça! Guarde os contratos, todas as notas fiscais de compras, recibos e orçamentos para evitar dores de cabeça.

9 – Reparos de infraestrutura – Os reparos com infraestrutura como alvenaria, hidráulica, colocação de gesso etc. ou qualquer outro serviço que gere algum tipo de sujeira deve ser feito no início da obra. Os trabalhos com acabamento como pintura, laqueação de móveis, colocação de pisos de madeira ou decoração ficam por último, como mencionado no item 4. Exija limpeza no decorrer do trabalho. Pois, obra limpa é obra segura. Organize também o espaço para guardar o material para evitar desperdício.
Outro etapa importante é a limpeza pós-obra. A faxina de obra deixa o local habitável e pronto para receber os móveis e moradores. Tirar massa-corrida, rejuntes, respingos de tinta, adesivos de louças e cubas, limpar e aspirar o quadro de luz e os trilhos de portas e janelas fazem parte de uma limpeza específica, diferente de uma faxina de manutenção.



10 – Mudança e organizer – Esses serviços são mais uma comodidade para quem quer apenas mudar e usufruir do novo espaço. Empresas especializadas em empacotar, transportar e desempacotar ajudam a evitar o transtorno de uma mudança com muitos itens. O serviço de organizer auxilia a colocar a casa em ordem e ocupar os armários de forma organizada para começar o uso do espaço novo com o pé direito.

Fonte: ZAP
Comentar

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Cores que acalmam



Nós já sabemos como as cores podem influenciar o nosso humor e refletem até nossa personalidade. Mas, quando se trata de decorar a casa, quais são as melhores cores para transmitir sentimentos de alegria e felicidade? Acompanhe cinco cores que vão melhorar seu humor e também criar um ambiente familiar feliz e tranquilo. Olha só:

1. Amarelo


Você está procurando uma cor revigorante e animadora? Pois o amarelo é o tom da felicidade e da luz solar. Ele também causa a liberação de serotonina, neurotransmissor químico que contribui para uma sensação de bem-estar. Então, cientificamente falando, é a melhor cor para levantar os ânimos. Seja leve e fresco ou ousado e brilhante, o amarelo também tem o poder de estimular a criatividade. É possível aplicar a cor em qualquer cômodo da casa, até em quartos e banheiros.
Dica: O amarelo pode ser muito forte, então permita que a cor brilhe contra um pano de fundo cinza elegante para criar um ambiente equilibrado. 

2. Verde


A Pantone elegeu a cor Greenery como a cor do ano de 2017 pela simbologia de novos começos. O verde representa tranquilidade e calma para trazer felicidade em sua vida. Nas suas formas mais suaves, é um tom da natureza que ajuda na concentração e relaxamento. Já os verdes mais fortes têm o poder de animar, além de provocar um efeito estimulante. Usar o verde em casa também conecta os moradores com o ar livre.
Dica: Misture e combine diferentes tons de verde, inspirando-se em belos jardins.

3. Azul


O azul é uma cor calmante e serena que, mesmo em suas formas mais ousadas, provoca benefícios diretos para a mente e corpo. Esta cor simboliza a lealdade e a confiança. Quem escolhe o azul é considerado seguro e responsável. As pessoas tendem a ser mais produtivas ao trabalhar em ambiente azuis, pois a cor também proporciona calma e foco. Os tons funcionam melhor em banheiros, sala estudos e quartos.
Dica: use um azul com um outro tom mais quente para impedir que o ambiente fique frio. Cria uma ilusão de espaço com tons semelhantes nas paredes, molduras e piso, para unir os cantinhos dos cômodos.

4. Rosa


Tons de rosa costumam ser a escolha de pessoas amáveis e generosas. Rosas mais claros refletem calor e sensibilidade e também representam a cor do romance. Já os vibrantes simbolizam uma visão otimista da vida. É divertido, enérgico e inspirador e melhor usado em espaços como salas de estar e jantar e quartos.
Dica: o rosa pode deixar os ambiente menores. Portanto, esta cor fica melhor em espaços com grandes janelas ou que recebem muita luz.

5. Vermelho


O vermelho é uma cor arrojada e confiante. Estudos mostram que ele aumenta a freqüência cardíaca e induz emoção, por isso é ideal para pessoas enérgicas que não gostam de ficar paradas. Mas como usar a cor? O tom exige atenção e simboliza otimismo, confiança e vitalidade. Portanto, fará um ambiente ficar mais acolhedor e cria a percepção de calor, especialmente durante os meses de inverno.
Dica: o vermelho pode ser muito forte, então dê preferência às estampas e pequenos itens de decoração, para diminuir a intensidade da cor sem perder de vez sua vitalidade.
Fonte: Casa Abril
Comentar

terça-feira, 5 de setembro de 2017

As montanhas mais coloridas do mundo

Todo mundo sabe que um pouco de cor pode mudar totalmente um lugar, além de alegrar o ambiente. O curioso é pensar que a regra pode valer também para montanhas: algumas espalhadas pelo mundo são tão coloridas que se tornaram atrações imperdíveis e de cair o queixo! Ficou interessado? Continue lendo para descobrir quais são elas.

Vinicunca, Peru

A cerca de 4 horas de Cusco, no Peru, está Vinicunca, a montanha que tem conquistado os latino-americanos nos últimos tempos! É necessário fazer uma trilha para chegar até a parte mais famosa, com sua textura multicolorida. Quem estiver com pressa pode fazer um day-trip, porém, vale a pena ficar um pouco mais para conhecer a cultura e a comunidade local.



Parque Geológico Zhangye Danxia, China

As multicoloridas montanhas do Parque Geológico Zhangye Danxia, na China, parecem ter saído de uma tela de pintura. Localizadas na província de Gansu, elas ganharam seu charme graças às formações de arenito, depósitos minerais, movimentos da crosta terrestre e condições climáticas que causaram a transformação do local. Assim como no Peru, a atração tem atraído muitos turistas recentemente.



Landmannalaugar e Saga Valley, Islândia

A terra do frio também faz parte da lista! Considerado um dos lugares mais inspiradores da Islândia, as montanhas coloridas de Landmannalaugar atraem os apaixonados por caminhada. Elas são compostas por riólito, uma rocha vulcânica também chamada de quartzo-pórfiro. Desta região, a vista se dá para o vulcão ainda ativo Mt. Hekla.



The Wave, Estados Unidos

Também nos Estados Unidos, mas desta vez no estado Arizona, está The Wave. A formação rochosa tem formato ondulado e por isso recebeu este nome, que significa “A Onda” em português. Sua paisagem passa por vários tons de laranja, vermelho e até dourado! Ela existe em razão das erosões pela água no período Jurássico. Depois, o vento deu uma ajudinha para deixa-la ainda mais sinuosa e bonita.


Fonte: UOL
Comentar